domingo, 31 de julho de 2011

Conhecimento dogmático e conhecimento científico (teórico-experimental)


Para melhor explicar o que se disse no item an­terior, faz-senecessária uma pequena incursão na teoria do conhecimento.
O pensamento científico, tal como é concebido hoje, iniciou-se com Galileu, que o fundamentou na observação e experiência. Antes dele, considerava-seválida toda e qualquer conclusão obtida por raciocínio, a partir de algumas supostas verdades, sem o aval da experiência.


A ciência era dogmática, tal qual fora estabelecida pelos gregos. Nestes podemos distinguir entre ciências matemáticas, de um lado, e ciências da natureza, do homem, de Deus, da alma, etc, de outro.

O conhecimento matemático foi desenvolvido pela definição e pela dedução, a partir de indefiníveis (não se pode definir tudo) e a partir de proposições indemonstráveis (não se pode demonstrar tudo). Qualquer conclusão obtida a partir dos postulados, por dedução, era tida como verdadeira.




 Os gregos elegeram a matemática como modelo de todas as ciências. Toda doutrina da natureza, do ho­mem, ou metafísica (de Deus, da alma, etc.)construída por este modelo, é dita dogmática; as proposições fun­damentais (as equivalentes aos postulados da matemá­tica) denominam-se dogmas. (Nas religiões os dogmas foram estabelecidos na interpretação de suas revela­ções.)
Cedo verificou-se que, fora da matemática, o mo­delo era inadequado. Por exemplo, é da experiência comum que um metal aquecido dilata e que a dilatação é proporcional aos acréscimos de temperatura. Limitadamente a esta ve­rificação poder-se-ia validar a seguinte proposição: po­demos aumentar o comprimento do metal tanto quanto se queira desde que aumentemos a temperatura corres­pondentemente.
Para um dogmático a proposição seria verdadeira; para um físico a proposição o seria desde que, ou de­pois de confirmada pela experiência. E a experiência não a confirma. A uma certa temperatura o metal fun­de e a proposição só é válida dentro de certos limites.
Tais considerações e resultados validaram o conhe­cimento feito nos moldes da física como o modelo de todo saber seguro: teórico-experimental.
Toda doutrina, qualquer que ela seja, construída sobre este modelo, é dito teórico-experimental. Enquan­to as proposições fundamentais de uma doutrina dog­mática são denominadas dogmas (científicos, filosóficos ou religiosos), as de uma doutrina teórico-experimental são denominadas leis ou princípios fundamentais.
O dogmatismo foi banido de todas as ciências, primeiro da física e depois das outras, progressivamen­te, num processo que se completa em nossos dias. (As ciências só progrediram depois que sr tornaram teórico-experimentais.) No século 20 foi banido das matemá­ticas, com a descoberta das geometrias não-euclidianas e com a constituição da matemática moderna. Pelo mes­mo motivo e com o trabalho de Godel, relativo à axiomática, foi banido da filosofia. Com o Espiritismo, ele é banido da religião.
No dizer de Flammarion, o aparecimento do Es­piritismo é o fim dos dogmas religiosos ( Discurso que Camille Flammarion...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário